segunda-feira, junho 12, 2017

Catillinárias

Estamos vivendo um ótimo momento para as bandas independentes no país e as mulheres estão cada vez mais presente nessa cena. Não falo só por falar, pois de 2010 pra cá (ano em que criei o blog) muuitas coisas mudaram, o feminismo que antes era um bicho-de-sete-cabeças agora está na boca de todo mundo e até canal de TV aberta começou a tratar do assunto. (quanto a maneira que estão fazendo isso, se está certa ou não, há controvérsias!) Mas verdade é, que essa popularização do feminismo fez também muito bem para nós mulheres deste país, não tenho dados comprovados mas parece que aumentou MUITO a participação das mulheres na música, tocando, compondo, mostrando suas ideias. Isso tudo é muito amor ♥ E é por isso que vou inaugurar uma série de postagens só com bandas brasileiras, com mulheres na formação e em atividade nos dias de hoje. Estreando com a banda carioca de riot grrrl, Catillinárias!


Catillinárias 


Para começar, escolhi falar dessa banda que realmente não sei porque ainda não havia aparecido por aqui. CATILLINÁRIAS é um trio de punk rock riot formado no Rio de Janeiro em 2010. Em 2012, tive a honra de participar da primeira edição do Festival Roque Pense (com a banda She Hoos Go) e logo ao chegar já fiquei empolgada com a performance da banda, parecia que eu estava nos anos 90, assistindo uma autêntica banda de riot grrrl. No som delas, é possível distinguir influências de bandas como Lunachicks, Bikini Kill e L7. A ideia que elas querem passar também é total riot grrrl, uma das músicas mais conhecida da banda, Cytotec (medicação usada para causar aborto), é uma crítica à maneira como a descriminalização do aborto é tratada no Brasil. 

O trio é formado por Marcelle Helt (baixo/vocal), Patricia D'Elia (guitarra/vocal) e Rayssa Baldez (bateria/vocal). Escute o EP "Violent Minds" lançado em 2013, logo abaixo!

→ Página da banda no facebook 

2 comentários: