quarta-feira, agosto 31, 2011

Covers Inusitados: A Versão Riot Grrrl de Cherry Bomb

As garotas do Runaways e suas 'cerejinhas'
Cherry Bomb foi a música que garantiu sucesso ao Runaways na década de setenta. Com um riff incessante (dando a idéia da bomba prestes a estourar), a música era agressiva e ao mesmo tempo sensual, perfeita para quebrar alguns "tabus" da época; Ainda mais com a maluca da Cherie Currie, nessa época por volta de seus 16 anos, cantando o quanto era selvagem vestindo uma lingerie.

Menos de vinte anos depois, surgia um movimento chamado riot grrrl, onde garotas também tocavam instrumentos, escreviam suas músicas e quebravam "tabus". Uma das bandas que levantaram essa bandeira foi o Bratmobile, tocando um punk/garage rock divertido e acima de tudo, feminista.

Onde entra o cover nesse blá blá blá todo ? No primeiro album do Bratmobile, "Pottymouth" de 1992. Ok, o cover de hoje não é tão inusitado assim, mas é bem interessante.

sexta-feira, agosto 26, 2011

Gutural Feminino: 10 Vocalistas de Metal

Apesar de não ser o meu estilo musical preferido, admito que fico empolgadíssima quando vejo uma mulher a frente de uma banda de metal cantando com uma voz rouca, grave e potente, usando a técnica conhecida por gutural. Pensando nisso, achei no blog Wildchild uma lista com dez vocalistas que utilizam dessa técnica e que conseguiram destaque no metal. Abaixo está a lista, modifiquei um pouco os textos, quem quiser conferir o original clique aqui.

O número de mulheres vocalistas de bandas de metal extremo, especialmente em bandas de Thrash e Death Metal, vem crescendo cada vez mais, e elas se voltam para o vocal gutural, embora tenha a predominância dos graves, o gutural não é praticado apenas por homens, sendo parcialmente comum ver mulheres usando a técnica.

Pois então, listaremos algumas das mulheres que utilizam a técnica do gutural em suas respectivas bandas:

 Angela Gossow
Banda: Arch Enemy

Com certeza quando se fala em gutural feminino, a primeira mulher que vem à cabeça é a vocalista da banda sueca de melodic death metal, Arch Enemy. A cantora alemã, tem como principais influências: Jeff Walker (Carcass), David Vincent (Morbid Angel), John Tardy (Obituary) e Chuck Billy (Testament). Angela é a mais fanática da banda por estilos mais extremos de metal e contribuiu muito para tornar o som da sua banda mais pesado, sem abandonar a melodia. Gossow teve seu primeiro contato com a música em 1991, na banda Asmodina. Em 1998 tornou-se frontwoman da banda Mistress, até ser chamada em 2001 para assumir os vocais do Arch Enemy

Escutar ♪ 



terça-feira, agosto 23, 2011

Crucified Barbara

A banda feminina sueca foi formada em meados de 1998 em Estocolmo por Mia Coldheart, excelente vocalista e guitarrista solo, Klara Force, guitarrista base, Ida Evileye baixista, e Nicki Wicked baterista.

O curioso nome surgiu quando duas das integrantes prestigiavam o Roskilde Festival na Dinamarca e viram uma boneca inflável com o nome de Barbara, primeiramente pensaram em dar esse nome a alguma música, mas por fim, foi adotado como o nome da banda, junto com a palavra "Crucified".


Começaram fazendo um som mais puxado pro punk, influência bem presente nas garotas, mas conforme foram evoluindo, a sonoridade começou a ficar mais pesada e com mais técnica. O single "Losing The Game" foi lançado em 2005, e em pouco tempo atingiu a oitava colocação dos tops suecos. Com esse retorno decidiram gravar o primeiro album. "In Distortion We Trust" foi lançado em 2006 e apesar de agradar razoavelmente a mídia e fãs do metal, é evidente que elas ainda tinham muitos pontos para melhorar. Destaque para a faixa "Play Me Hard".

segunda-feira, agosto 22, 2011

1 Ano de Blog!

Nesse domingo, dia 21, completou um ano desde que escrevi meu primeiro post nesse blog! 
Queria agradecer aos mais de 22 mil acessos, aos comentários e aos seguidores. Com certeza se não fosse por vocês eu não teria chegado até aqui :D


Para comemorar essa data, vou fazer uma listinha com alguns dos posts mais vistos e outra com meus preferidos.

quarta-feira, agosto 17, 2011

Top #3: Mulheres no Hard Rock Baby!

Aqui no blog estou sempre falando das mulheres que eu admiro na música, porém, geralmente destaco as que foram mais pro lado do punk e grunge, afinal, além de ser o estilo que eu mais escuto ultimamente, elas também costumam ser mais politizadas e com muitas atitudes feministas; Mas não são só nesses gêneros que as mulheres tem seu espaço (e mandam bem!), no hard rock por exemplo elas também tem sua contribuição, e é sobre isso que vou falar hoje, começando com umas das três maiores bandas/artistas nesse estilo, segundo meu gosto pessoal também.

3° Vixen


A banda de hard rock estadunidense foi a primeira completamente feminina que eu conheci (dentro desse gênero), no tempo que eu tocava um "hard n'roll" com as gurias da Scarlet Rose, e posso dizer que gostei de primeira, as músicas e o visual glam me fisgaram logo de vista. Não vou entrar em muitos detalhes sobre Vixen, pois já falei delas em outro post (leia aqui). Para quem quiser escutar e conhecer a banda, recomendo baixar o primeiro album, que contem os maiores sucessos do quarteto.


Bessie



Essa mulher canta suas feridas com a voz da glória e ninguém pode ficar surdo ou distraído. Pulmões da noite profunda: Bessie Smith, imensamente gorda, imensamente negra, amaldiçoa os ladrões da Criação.
Seus blues são os hinos religiosos das pobres negras bêbadas nos subúrbios: anunciam que serão destronados os brancos e os machos e os ricos que humilham o mundo.



segunda-feira, agosto 15, 2011

Lunachicks

Biografia
Banda formada em 1987, na cidade de Nova York, pelas estudantes Theo Kogan (vocalista), Gina Volpe (guitarrista), Sydney "Squid" Silver (baixista) e Sindi Benezra (guitarrista). Após um ano apenas ensaiando e compondo musicas no quarto de Gina a banda tem sua estréia nos palcos em 1988, com o namorado de Theo, Mike, tocando bateria. E por sorte delas, lá estavam Kim Gordon e Thurston Moore (Sonic Youth), mais uma vez ajudando a revelar os talentos do rock feminino. Ambos interessaram-se pela banda e após acompanharem alguns shows enviaram uma fita demo para o dono da gravadora britânica Blast First, com a qual elas assinam um contrato e lançam um EP auto intitulado com quatro músicas.


Em 1989, já com Becky Wreck na bateria é lançado o primeiro album, "Babysitters On Acid". A banda abandona a gravadora Blast First, que dava muito pouco lucro. Em 1992 chega as lojas o segundo album, "Binge & Purge" pela Safe House. Nessa época Becky Wreck ganha uma certa fama após uma aparição no Lesbian Dating Game e deixa banda, sendo substítuida por Kate Schellenbach, e depois por Chip English.

Mais uma vez a banda troca de gravadora, agora o contrato é com a Go-Kart Records. "Jerk of All Trades", é lançado em 1995. Mas foi com o album "Pretty Ugly" lançado em 1997 que emplacaram o sucesso "Don't Want You". Após a saída da guitarrista, Sindi, a banda se estabelece como um quarteto e em 1999 lançam seu último album, "Luxury Problem". Chip sai e é substítuida por Helen Destroy. A banda está em hiato desde 2000, com exceção de um show em 2002 e outro em 2004.

terça-feira, agosto 09, 2011

The Distillers

Todo mundo conhece e gosta de Distillers, provavelmente não postarei nada de novo para muita gente, mas tratando-se de um blog sobre bandas femininas, acho importante citar Brody Dalle, influência fortíssima para muitas grrrls hoje em dia.


Brody Dalle, (Bree Leslie Pucilowski) nasceu no dia 1° de janeiro de 1979 em Melbourne, Austrália. Seu primeiro contato com a música foi tocando bateria na banda punk Sourpuss. Após uma juventude problemática, aos 18 anos muda-se para Los Angeles e casa-se com Tim Armstrong (vocalista do Rancid), com quem ela mantinha um relacionamento a distância havia algum tempo. Em 1998, Brody Armstrong fundou o Distillers com os músicos Kim Fuelleman, Matt Young e Rose Casper.

O album de estréia é lançado em 2000 pela Epitaph Records e produzido por Thomas Johnson. As músicas são rápidas e barulhentas; Entre as composições de Brody incluiram também uma cover de Patti Smith, "Ask The Angels", que ficou ótima na versão mais distorcida.

sexta-feira, agosto 05, 2011

Jennifer Finch


Baixista lendária do L7, impressionou todos com sua incrível presença de palco e sua ousadia totalmente riot grrrl. Começou sua carreira musical ao lado de Courtney Love e Kat Bjelland no Sugar Baby Doll, a banda rendeu apenas uma demo mal gravada e a criação do kinderwhore. Em 1986 entrou para o L7. Finch além de baixista, flerta com a fotografia desde seus treze anos. Ao longo de sua vida participou de vários projetos, um dos mais curiosos foi a produção de um album tributo a Ramones direcionado ao público infantil e cantado por crianças, que teve a participação de bandas como Alkaline Trio, The Donnas e Queens of The Stone Age na gravação das músicas.

Hoje, Jennifer completa 45 anos. Parabéns!

quinta-feira, agosto 04, 2011

7 Year Bitch


O 7 Year Bitch foi formado no inicio da década de noventa em Seattle, por quatro garotas que tinham em comum o gosto pela música punk e a vontade de tocar.

A formação original contava com Selene Vigil nos vocais, Stephanie Sargeant na guitarra, Elizabitch Davis no baixo e Valerie Agnew na bateria. A principal influência do 7 Year Bitch, era The Gifts, igualmente de Seattle, era uma das poucas bandas punks com vocal feminino.

Pouco antes do lançamento do primeiro album, "Sick 'Em" pelo gravadora C/Z Records, Stephanie morre devido ao uso abusivo de drogas. A banda ficou muito abalada emocionalmente, mas com a chegada da guitarrista Roisin Dunne conseguiram dar continuidade ao seu trabalho. Em 1994 é lançado "Viva Zapata!", com o título em homenagem a vocalista do The Gifts, Mia Zapata, que havia sido brutalmente assassinada meses antes. O album recebe uma ótima crítica e rende um contrato com a gravadora Atlantic Records.

"Gato Negro" último album do 7 Year Bitch, é lançado em 1996, infelizmente quando o grunge e o riot grrrl vinham perdendo força, em função disso o disco não teve muito destaque. Roisin sai da banda e é substítuida por Lisa Fay, mas logo após o final da banda é anunciado.