quarta-feira, abril 20, 2011

Andrew Wood

Alimentando a minha admiração pela vida bela e breve de alguns dos meus ídolos, hoje vou falar de Andrew Wood, figura que pelo menos todo grunge que se preze já deve ter escutado falar.

No palco, ele era excêntrico e teatral.Na vida pessoal, era visto como um hippie dos dias atuais, pregando paz, amor e compreensão – sem esquecer das drogas, sexo e rock’n’roll.

Nasceu em Columbus, Mississippi, mas passou a maior parte da sua adolescência em Bainbridge Island, Washington, onde formou sua primeira banda, Malfunkshun, acompanhado de seu irmão, Kevin Wood e do baterista, Regan Hagar.Acredito que muito da "personalidade musical" de Wood formou-se nessa banda.Durante os shows cada integrante assumia seu alter-ego, também usavam muita maquiagem e roupas vistosas no maior estilo Kiss.   - Escute ♪ Make Sweet Love (Malfunkshun) ótima música  -

Porém, musicalmente, o trio não agradava muito.O selo da região, Sub Pop, estava a procura de bandas com a sonoridade do que viria a ser o grunge, e o Malfunkshun fazia um estilo mais hard rock.

A medida em que Andy e Regan começaram a realizar jam sessions com os membros do Green River (Stone Gossard e Jeff Ament) , o Malfunkshun foi ficando de lado, dando espaço para o que viria a ser o Mother Love Bone.
Banda que ganhou mais espaço que a anterior, com diversas influências, do hard ao heavy mas com um energia punk que chamava atenção.O primeiro album (e único de estúdio) foi lançado em 1990 pela Polydor Records, e intitulado de "Apple"(download).

Tudo parecia ir bem, porém os problemas de Andrew com as drogas só pioravam.Decidiu fazer reabilitação por um mês e conseguiu ficar sem usar drogas por 116 dias, mas teve uma recaída que resultou em uma overdose, no dia 16 de março de 1990.Paramédicos rapidamente levaram Wood para o Harborview Hospital, onde foi conectado à respiração artificial e permaneceu em coma por 3 dias. Durante este tempo, sofreu um aneurisma hemorrágica e considerável dano por falta de oxigênio, acabando com qualquer atividade em seu cérebro. Após nenhuma melhora, em 19 de março, sua família decidiu retirá-lo da respiração artificial.

V. Woolf




"Eu detesto o ponto de vista masculinista. Estou entendiada do seu heroísmo, virtude e honra. Eu acho que o melhor que esses homens podem fazer é não falar mais deles mesmos."






Virginia Woolf (1882-1941)

terça-feira, abril 05, 2011

Sickman: 9 anos sem Layne Staley

" Seja qual forem os dramas que estão acontecendo em minha vida, eu sempre acho aquele lugar dentro da minha cabeça, onde eu me vejo como a mais limpa, mais alta, mais forte, mais sábia pessoa que eu posso ser." Layne Staley

Layne Thomas Staley nasceu na cidade de Kirkland (Washington) em 22 de agosto de 1967, filho de Phil Staley e Nancy McCallum.Ele tinha apenas oito anos quando sofreu com a separação dos pais, acontecimento que teve por consequencia a ausencia do seu pai por boa parte de sua vida.

Na adolescencia, passou a usar o sobrenome do padrasto, era conhecido no colégio por Layne Elmer, um garoto timido, que era zuado pela sua baixa estatura.As brincadeiras maldosas dos colegas quase fizeram ele desistir da escola, porém no ultimo ano do segundo grau ele passa por um crescimento súbito, com um metro e oitenta o jovem não temia mais os colegas e orgulhava-se ao dizer que agora sim as garotas o notavam, assim concluiu o colegial.

Queria muito reencontrar seu pai, em entrevista anos mais tarde, admitiu que quando tinha dezesseis anos procurou seu pai sem avisar nada para a familia, mas não teve bons resultados.Acreditava que com a música seria mais fácil de acha-lo, tanto que quando começou a tocar com o AIC voltou a usar o sobrenome do pai, Staley.

Com doze anos aprendeu a tocar bateria, mas seu maior talento com certeza estava na voz, potente e marcante, que o eternizou como um dos melhores vocalistas da história do rock a frente do Alice In Chains.
Staley estreou na música com muita maquiagem e laquê no cabelo como vocalista da banda de glam rock, Sleze.Mas foi quando conheceu o guitarrista Jerry Cantrell que seus projetos musicais começaram a tomar forma real, primeiramente com o nome de Diamond Lie, passando depois para Alice In Chains.
Foi com Mike Starr no baixo e Sean Kinney na bateria que o quarteto alcançou o sucesso no inicio dos anos noventa com o estouro do movimento grunge.Nessa mesma época, Layne começou a usar heroina, droga que o acompanhou pelo resto da vida.

Como o esperado pelo rapaz, com a fama da sua banda ele reencontrou o pai, porém o que deveria ser algo bonito e repleto de sentimento foi mais para decepcionante quando Layne descobriu que Phil também era viciado em heroina.Agora pai e filho recuperavam o tempo que não passaram juntos antes, compartilhando do mesmo vicio.


Layne e Demri
No inicio da década de noventa, Layne também conhece o maior amor de sua vida, a bela Demri Lara Parrott.Começam um relacionamento, mas a medida que o AIC começa a alcançar mais sucesso e os shows e viagens se intensificam, por volta de 93, eles acabam se distanciando.

Demri Parrot

Demri morre em 1996 vitima de endocardite, infecção bacteriana das válvulas cardíacas que pode ser causada ​​por diversos fatores, incluindo a inserção de seringas.Acredita-se que muitas das agulhas que ela pode ter usado durante o seu uso de heroína, provavelmente, contribuíram para o aparecimento da infecção, que a levou a morte aos 27 anos.Mesmo não estando mais juntos, Layne sofreu muito com a morte de Parrott, esse foi um dos principais fatores que o levaram a depressão.